Dicas Saúde

Dicas para identificar os sintomas do climatério e conviver melhor com a menopausa

11 de julho de 2018

Oi meus amores.

Hoje vim falar sobre climatério (período de transição em que a mulher passa da fase reprodutiva para a fase de pós-menopausa) e menopausa (última menstruação da mulher). Estou com meus 43 anos e sei que esses ciclos de transição são inevitáveis para mulheres entre 40 e 55 anos. Sei também que pode ser um momento um tanto quanto desconfortável. É um período que requer orientação para minimizar sintomas e conseguir a tranquilidade e o bem-estar que o nosso corpo precisa.

Reuni dicas valiosas com a médica ginecologista e nutróloga, com título de especialista pela American Academy of Antiaging Medicine, Melissa Antoun.

Vem comigo conferir!

Dicas para se atentar aos sintomas:

* Se atente a idade – geralmente os distúrbios menstruais ou os sintomas começam em torno dos 40 e 45 anos de idade. Um dos primeiros sinais que a paciente sente (as que menstruam regularmente e não usam nenhum método para suprir a menstruação) é a irregularidades da menstruação. Os ciclos menstruais tendem a ficarem mais curtos ou as vezes ficam mais longos.

* Se atente a qualidade do sono – Um dos primeiros sintomas é uma insonia, uma alteração da qualidade do sono sem que a paciente tenha feito mudanças na rotina. Isso pode sinalizar deficiência hormonal.

* Ondas de calor – Esse é o sinal mais característico dessa fase.  A paciente sente fogachos, um aumento da temperatura do corpo sem estar em um ambiente quente.

* Mudanças repentinas – As pacientes que enfrentam essas mudanças notam cansaço, fadiga, desânimo e libido (desejo sexual) reduzido.

Orientação de como proceder:

* Procure um médico para avaliação do quadro: Faça avaliações hormonais que o médico julgar necessárias e inicie um tratamento assim que possível para melhorar o quadro. Para quem já tem o diagnóstico do climatério e menopausa é necessário se atentar à alimentação. A mulher tende a ganhar peso e é necessário procurar um nutrólogo ou um nutricionista para avaliação do metabolismo e de uma dieta adequada. A identificação precoce e a procura o quanto antes de um medico para tratamento da reposição hormonal evita o agravamento de sintomas e ajudar na prevenção de doenças.

* Vitamina D – É importante avaliar essa vitamina em exames de sangue, pois ela costuma estar reduzida na maioria das pessoas. A redução pode ocasionar perda óssea e alteração da imunidade.

* Atividade física – O exercício ajuda a diminuir o hormônio insulina, este que se encontra aumentado na menopausa e que provoca o ganho de peso. Ele também atua como um importante anti-inflamatório natural, reduzindo o stress oxidativo. É importante lembrar que a atividade física deve ser feita dentro de um limite, pois se exagerada também pode ser ruim para o corpo e para a mente.

Comentários pelo Facebook

Confira Também

Nenhum Comentário

Deixe uma Resposta

*