Mantendo a ordem na cozinha

5 de janeiro de 2016

Meninas,

Quem aí está de férias também?

São tantos assuntos que temos que tratar neste período, mas hoje quero falar para quem não viajou ou nem vai viajar e tira uns dias (ou todos eles) para cuidar da casa ou mudar alguns hábitos. Eu amo cuidar da minha casa, do lar e por isso quero compartilhar com vocês algumas dicas que encontrei na internet.

Sabemos que a cozinha é um dos lugares que mais acumula sujeira e vermes, por isso, o cuidado deve ser redobrado.
Que tal adotar algumas medidas para evitar esses problemas?

Acompanhe as dicas que encontrei no site M de Mulher:

esponja Esponja: para que ela não vire um ninho de micróbios, trate de higienizá-la todo dia, deixando em água fervente por cinco minutos ou imersa em solução clorada – 2 colheres de água sanitária para cada litro d’água – durante dez minutos. Lembre-se que a bucha deve ficar sem resíduos e bem seca depois. E trate de trocá-la assim que apresentar desgastes e perda de firmeza.

 

pia de cozinhaPia: é um dos locais imundos do recinto. Para afastar perigos, limpe-a sempre com solução clorada ou água quente. Mas não se esqueça da torneira, que tantas vezes passa despercebida e, aí, pode oferecer mais ameaças do que a própria pia. De acordo com o Conselho de Higiene Global, organização que reúne experts da área, 52% das torneiras possuem alta taxa de contaminação.

 

lixeiraLixeira: O lixinho deve ser aposentado. Além da proximidade dos detritos com alimentos que serão consumidos, ele atrai insetos e outros vetores de doenças. Mantenha-o no piso e troque os saquinhos diariamente. Aliás, essa também é a frequência correta para lavar seu interior. Outra dica: prefira os que são acionados por pedal para evitar o contato das mãos com a sujeira.

 

taboaTábua de corte: entre todos os materiais, a madeira é o pior. Por ser porosa, permite que micro-organismos se acumulem nas ranhuras e fiquem praticamente impossíveis de remover. Priorize as tábuas de vidro ou plástico e as use em etapas. Ou seja, primeiro corte os ingredientes crus que serão cozidos e só depois de uma lavagem pique os que já passaram pelo fogão.

 

utensiliosUtensílios: aqui, a matéria-prima também faz toda a diferença. Apesar de ser quase uma unanimidade, a colher de pau merece cair fora da gaveta e dar espaço à de aço inox, polipropileno ou outros materiais. O mesmo vale para os cabelos de faca. É ainda uma boa reservar um talher para cada fase de preparo. Caso contrário, bactérias e afins podem pegar carona e se espalhar.

 

pano de pratoPanos de prato: bactérias adoram ambientes úmidos e com resíduos. Em outras palavras, o tecido precisa estar limpo a todo momento. Para afugentar micróbios, separa panos para cada finalidade – um para secar as mãos, outro para a louça, um terceiro para o manuseio da comida – e lave-os no mínimo a cada três dias. Se for viável lançar mão de toalhas de papel, melhor ainda.

 

piso e balcaoPiso e balcão: a regra é clara. Superfícies secas e asseadas são menos convidativas para os germes. A bancada fica um brinco se for higienizada com uma mistura de cloro ou álcool 70%. E, sim, o ideal é realizar isso após cada preparo. Já o piso requer uma limpeza caprichada por semana com desinfetante ou outros produtos bactericidas. Mas atenção! Essa frequência aumenta com a quantidade de frituras feitas no local.

 

Bom, meninas. Algumas das dicas eu já adoto, mas confesso que outras eu não sabia.
Por isso, é sempre bom ler, compartilhar e aprender.

Espero que tenham gostado.

Beijos,

Si.

 

Siga também no Instagram: @simone.mendess

Entre no blog: Clique aqui para #estarbemaos40

Comentários pelo Facebook

Confira Também

Nenhum Comentário

Deixe uma Resposta

*